FANDOM


Direitos Reservados ao Iron Chariots, Link original aqui.

Um Ateu, no sentido geral, é uma pessoa que não acredita na existência de quaisquer deuses. O ateísmo é a posição filosófica correspondente. Ateísmo pode ou não ser uma posição de fé, dependendo do tipo de ateísmo, assim como o ateísmo pode ou não pode referir-se a uma posição sobre a questão Teísta, Dependendo do indivíduo em questão e a forma como o termo "ateísmo" entende-se. Argumentos sobre se o ateísmo constitui ou não uma crença são muitas vezes baseados no lado que assume que o termo constitui ou não uma posição positivista sendo, portanto, uma crença.

Tipos de Ateísmo

Ateísmo forte

Veja artigo principal: Ateísmo forte

Um 'ateísta forte' é aquele que afirma que "não há nenhum deus". Ateísmo forte é a forma de ateísmo que a maioria dos teístas referenciam em debates, já que a maioria não sabe a diferença entre ateísmo forte e fraco. No entanto, os 'ateus fortes' são mais raros do que a maioria das pessoas pensa.

"O ateísmo é uma proposição ou uma reivindicação de verdade sobre o mundo, e essa proposição é: Deus não existe [1]"

"Seria preciso ser onisciente para provar que Deus não existe, mas se fosse um ser onisciente, por definição, já seria Deus!" [2]

Por esta razão, o ateísmo forte é por vezes criticado por "exigir fé". Essa crítica, muitas vezes se baseia na suposição de que a fé é uma falha, e que, se falado por um argumentador que alega não ter alguma posição de fé, é auto-destrutivo em um sentido direto. Outras vezes esta ideia é argumentada por teístas que alegam "trazê-los para o nosso nível". Na maioria das vezes, argumenta-se que "sua postura não é melhor do que a minha". Muitas vezes, isso é bem sucedido para fazer descarrilar a conversa, com muitos ateus ficando desconfortáveis ​​em admitir que qualquer elemento de seus pensamentos contêm fé. Os usuários desta wiki são aconselhados a considerar que, no sentido epistêmico literal, todo o conhecimento, eventualmente, requer alguns pressupostos básicos, e essa suposição é funcionalmente idêntica à fé. A diferença não se baseia em evitar fé/suposição, mas em aterrar seu conhecimento em um pensamento mais firme e mais bem fundamentado.

Ateísmo forte é também chamado de ateísmo "positivista". Este uso do termo "positivista" vem da raiz "postular 'significado' para tomar uma posição". Assim, um ateu positivista é aquele que tomou a posição de que não há deuses.

Ateísmo fraco

Veja artigo principal: Ateísmo Fraco

Um ateu "fraco" é aquele que não tem a pretensão de saber que não há nenhum deus, mas em vez disso simplesmente não tem crença em um deus. Esta forma de ateísmo é a mais comum, e às vezes é chamada de "ateísmo agnóstico" (veja a nossa discussão sobre Ateístas versus agnósticos). Cada bebê recém-nascido é (inconscientemente) um ateu fraco, e permanece assim até que o conceito de Deus seja apresentado a ele ou ela.

Ateus fracos muitas vezes argumentam que a sua posição é a única posição racional, já que tanto quanto o teísmo e o ateísmo forte fazem reivindicações positivistas. O Ateísmo fraco é também chamado de Ateísmo não-positivista.

Outros pontos de vista do Ateísmo

Nem todo mundo (nem mesmo todos os ateus) estão de acordo com as definições acima (que são baseadas em fontes acadêmicas). Por exemplo, os autores da Evil Bible parecem definir o ateísmo como negação da existência de quaisquer deuses, ou a crença (positiva) que não há deuses. Richard Dawkins, autor do livro Deus: um Delírio, reserva os termos teísmo, agnosticismo e ateísmo em um espectro de probabilidade teísta de 1 (eu sei que Deus existe) a 7 (eu sei que Deus não existe). Em outras palavras, "ateu", para Dawkins, é sinônimo de "ateu forte", como acima.

Demografia

[Phill] Zuckerman apresentou uma revisão de estudos científicos que examina os dados demográficos do ateísmo. [3] Há entre 500 milhões e 750 milhões de não-crentes ao redor do mundo. Homens são geralmente mais irreligiosos que as mulheres e mais propensos a deixar uma religião para seguir o ateísmo. [4] O ateísmo é mais comum em democracias industrializadas. Nos países ocidentais, o ateísmo está correlacionado com a juventude, a falta de pobreza, a capacidade verbal e a educação, o que é irônico, considerando que a Bíblia equivale os ateus aos tolos (Salmo 14:1). Os homossexuais são mais propensos a ser ateus.

Normalmente, o número de ateus nos EUA é calculado em cerca de 2% da população. No entanto, este tipo de dados é problemático, uma vez que exige que as pessoas identifiquem-se como ateus. Ateísmo é a ausência de crença em deus(es) - se não se acredita em Deus(es), então eles são, por definição, ateus. A este respeito, o número de ateus é substancialmente mais elevado do que 1-2%. O American General Social Survey fez pesquisas nacionalmente representativas recentemente. A questão que se coloca é esporadicamente, "Descreva as suas crenças sobre Deus" (a variável é chamada GODCHNG). Possíveis respostas a esta questão são: "Eu não acredito agora, e eu nunca acreditei", "Eu não acredito agora, mas eu costumava [acreditar]", "Eu acredito agora, mas eu não costumava [acreditar]", e "Eu acredito agora, e eu sempre acreditei". Em 2008, que foi o ano mais recente que esta pergunta foi feita, o número de pessoas que indicavam que elas "não acreditam em Deus" era de 130/1301 pessoas (~10%) da população.

Crenças e comportamentos

Além de não acreditar na existência de quaisquer deuses, não há nenhuma doutrina oficial atéia. Não há nenhum papa ou igreja atéia, e não há regras atéias para se viver. Isso também não quer dizer que os ateus não seguem regras sociais e legais, não tenham princípios éticos, ou que eles nunca são religiosos.

Embora não existam crenças unificadoras de ateus e não ateus, existem alguns padrões gerais de crença e comportamento que distingue os ateus dos não-ateus. No entanto, assumir que um indivíduo ateu está de acordo com esses padrões não se justifica. A partir de revisão da literatura científica de Zuckerman [3], os ateus são marcadamente "menos nacionalistas, menos preconceituosos, menos anti-semitas, menos racistas, menos dogmáticos, menos etnocêntricos, menos 'de mente fechada', e menos autoritários" e mais politicamente independentes do que os crentes religiosos. Os ateus são menos propensos a apoiar os partidos políticos de direita e são geralmente mais liberais/progressistas. Os ateus são mais favoráveis ​​à igualdade de gênero e a aceitar a homossexualidade. Zuckerman sugere que isso implica que os ateus podem ter um sentido superior de justiça social do que os religiosos. Ateus e nações mais seculares geralmente são menos propensos a apoiar o uso de castigos corporais sobre as crianças e colocam mais ênfase no pensamento independente das crianças.

Ateus são menos propensos a cometer crimes violentos do que os não ateus. Os ateus também são significativamente sub-representados na população carcerária. No entanto, os ateus são mais propensos a consumir álcool quando menor de idade e a participar do uso de drogas ilegais.

Ateus nos EUA têm comportamentos sexuais semelhantes quando comparados aos não-ateus, exceto: uma proporção maior de ter mais de 20 parceiros sexuais durante toda a vida, fazer sexo por um longo período de tempo, ser mais propensos a se envolver em sexo anal e as mulheres tendo mais probabilidade de receber sexo oral. [5] O ateísmo também está associado com o sexo pré-marital, mais propenso a ter um caso extra-conjugal, a aprovar o sexo oral e a masturbação e a sentir menos culpa sobre sua atividade sexual.

Compatibilidade com a religião e outras crenças

Características do ateísmo estão presentes em várias religiões e sistemas de crenças espirituais, incluindo o jainismo, o budismo, o hinduísmo, movimentos Neopagãos (tais como o Wicca), o Universalismo Unitário e outras religiões não-teístas ou não-dogmáticas. Para não ser mal interpretado, o ateísmo não é uma crença fundamental em todas essas religiões, mas existe como uma opção ou exigência de pelo menos uma parte de cada uma dessas religiões. Há movimentos ateístas minoritários nas religiões que são normalmente consideradas monoteístas, como o ateísmo cristão.

Não há nada específico sobre o ateísmo, por si só, que lhe diga como você deve viver. No entanto, existem posições filosóficas abrangentes que incluem o ateísmo como uma parte da filosofia geral (o Humanismo Secular sendo o exemplo mais conhecido).

O ateísmo está intimamente relacionado com o agnosticismo, o que indica uma pessoa considerar a questão da existência de Deus como indeterminado, ou a questão não pode ser determinada totalmente. Ignosticismo é a posição que o conceito de Deus ainda não foi definido de forma coerente, de modo que a existência de Deus não pode ser discutida de forma significativa.

Pontos de vista de filósofos ateus acadêmicos

Uma pesquisa de acadêmicos nos departamentos de filosofia descobriu que grupos ateus geralmente aceitam as posições filosóficas de: fisicalismo da mente (68%), Compatibilismo do livre arbítrio (67,4%), naturalismo (63,2%), utilizar o interruptor no problema do trole (77,3%), realismo moral (59,2%), realismo científico (80,9%), a existência de um conhecimento a priori (69,8%), realismo não-cético (86,6%), rejeitar a ética da virtude (67,1%), cognitivismo moral (71,1%), distinção analítico-sintética (65,3%), a verdade sendo deflacionária (66,7%), rejeitar a teoria dada dos sentidos (81,2%) e a existência do livre arbítrio (77,2%) [6]

Os maiores contrastes entre ateus e teístas são nas áreas do fisicalismo da mente (68% ateus, 25,1% teístas), livre-arbítrio libertário (7,7% / 44,4%), naturalismo (63,2% / 25%), compatibilismo do livre arbítrio (67,4% /35.9%), B-teoria do tempo (50,1% / 29,2%) e consequencialismo moral (32,1% / 11,9%). [6]

Percepção de ateus pelos teístas

Veja artigo principal: Discriminação contra Ateístas

Ateus e apóstatas foram perseguidos ao longo da história e em todo o mundo. Muitos teístas acreditam que os ateus são imorais ou à moral depende da religião. A Arábia Saudita promulgou leis que equiparam o ateísmo ao terrorismo. O governo do Egito lançou uma campanha em junho de 2014 para alertar sobre os "perigos do ateísmo". O presidente da Malásia acusou o "humanismo e o secularismo, assim como o liberalismo" de ser "desviante". [7]

Nos EUA, os ateus têm a pior imagem pública de qualquer outro agrupamento crença (ateus são, aproximadamente, considerados igual aos muçulmanos). [8] Os ateus são por vezes retratados como infelizes, de vida-curta e mentalmente instáveis. [9] A maioria dos Cristãos norte-americanos ficariam chateados ou infelizes, se um familiar próximo se casasse com um ateu. [10] Em um levantamento de traços usados pelos eleitores para escolher o presidente dos Estados Unidos, a característica que fez a maioria das pessoas menos propensas a votar em um candidato em 2014, foi o ateísmo. [11]

Ateus que abandonaram os seus pontos de vista religiosos anteriores também podem ser perseguidos como apóstatas.

História

O Ateísmo remonta pelo menos tanto quanto a Grécia antiga. É uma forte tradição dentro do budismo.

"Esses primeiros ateus estavam fazendo o que parecem ser acusações universais sobre a natureza paradoxal da religião - O fato de que ele lhe pede para aceitar as coisas que não estão intuitivamente lá no seu mundo. O fato de que isso estava acontecendo há milhares de anos sugere que as formas de descrença podem existir em todas as culturas, e provavelmente sempre existiram [12]".

Apologética

"Não há argumento para a falta de crença"

"Se o termo 'Ateísmo' descreve simplesmente uma falta de crença, então não pode haver nenhum argumento para apoiar o que está faltando. [1]"

Isso não segue. Pode-se argumentar que a falta de crença é justificada. Isso geralmente é feito com o argumento para o ceticismo. No entanto, isso não significa que a falta de crença tem qualquer ônus da prova.

Veja também

Links externos

Referências

  1. 1,0 1,1 http://clearlens.org/2014/09/17/why-atheism-is-not-a-lack-of-belief/
  2. http://www.chaim.org/atheist.htm
  3. 3,0 3,1 Phil Zuckerman, Atheism, Secularity, and Well-Being: How the Findings of Social Science Counter Negative Stereotypes and Assumptions, Sociology Compass 3/6 (2009): 949–971, 10.1111/j.1751-9020.2009.00247.x
  4. http://www.ioe.ac.uk/newsEvents/110639.html
  5. Michael, Robert, John Gagnon, Edward Lauman and Ginba Kolata, Sex in America: A Definitive Survey, New York: Warner Books, 1995
  6. 6,0 6,1 http://philpapers.org/surveys/linear_most_with.pl?A=main:God:atheism
  7. http://www.independent.co.uk/news/world/politics/how-the-right-to-deny-the-existence-of-god-is-under-threat-globally-9913662.html
  8. http://national.deseretnews.com/article/1915/survey-public-warm-to-jews-catholics-and-cool-to-muslims-and-atheists.html
  9. http://www.rightwingwatch.org/content/bill-donohue-non-religious-people-need-therapy-they-die-prematurely-and-are-disproportionate
  10. http://ncronline.org/news/people/survey-many-dont-want-atheist-laws
  11. http://www.people-press.org/files/legacy-pdf/5-19-14%20Presidential%20Traits%20Release.pdf
  12. Atheism has ancient roots and is not ‘modern invention’, claims new text
Ateísmo
Terminologia Etimologia da palavra ateísta - Ateísmo Fraco - Ateísmo Forte - Agnosticismo - Ateístas versus agnósticos - Princípios e dogmas
Literatura Contemporânea O fim da fé - Deus: um delírio - God: The Failed Hypothesis - Carta a uma nação Cristã - Deus não é Grande - Irreligion - 50 Reasons People Give for Believing in a God
Literatura Clássica Porque não sou um Cristão
Grupos ateístas e Seculares Grupos Ateístas - Instituições de caridade Seculares - Como americanos Não-Ateus veem ateus
Autores Contemporâneos Richard Dawkins - Daniel Dennett - A. C. Grayling - Sam Harris - Guy P. Harrison - John Allen Paulos - James Randi - Victor Stenger
Escritores e Filósofos David Hume - Robert Ingersoll - Friedrich Nietzsche - Bertrand Russell - Carl Sagan - Voltaire - Jean-Paul Sartre - John Stuart Mill - Karl Marx - Heraclitus